Poema dos ollos da amada

Qué linda esta poesía de Vinicius de Moraes: Oh, minha amadaQue olhos os teus São cais noturnosCheios de adeusSão docas mansasTrilhando luzesQue brilham longeLonge nos breus Oh, minha amadaQue olhos os teus Quanto mistérioNos olhos teusQuantos saveirosQuantos naviosQuantos naufrágiosNos olhos teus Oh, minha amadaQue olhos os teus Se Deus houveraFizera-os DeusPois não os fizeraQuem não […]